sábado, 24 de março de 2012

Yom Kippur

Há alguns anos, o falecido David Wilkerson pregou um sermão poderoso intitulado "Um chamado para a angústia", onde convocava os verdadeiros cristãos a despertarem do seu estado de letargia e deixarem-se consumir pelo sentimento de angústia que vem do Espírito do Senhor. Angústia pelos pecados da sociedade e da Igreja. Um chamado ao sofrimento e arrependimento. A verdadeira conversão passa por um sentimento de sofrimento e aflição, marcado,  nos tempos do Velho Testamento, por servos de Deus rasgando suas vestes, vestindo-se de panos de saco e lançando cinzas sobre a cabeça. Nem todos sabem, mas a aflição da alma era um mandamento de Deus para Israel. É exatamente sobre isto que trata a sexta festa do calendário judaico, o Yom Kippur, ou Dia da Expiação.

O Yom Kippur é o dia mais sagrado do ano para os judeus, quando deve haver introspecção pessoal e arrependimento, além de expiação pelos pecados da nação. Kippur, ou expiação, significa "cobrir" ou "reconciliar", segundo o dicionário Strong. Quando um animal era sacrificado pelos pecados de alguém, seu sangue era derramado para cobrir simbolicamente os pecados da pessoa e fazer sua reconciliação com Deus

"Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma.", Lv 17:11

O Yom Kippur é a segunda festa do outono, sendo celebrada no dia 10 de Tishri, logo após a Festa das Trombetas, que serve como uma santa convocação e chamado ao arrependimento, como preparação para o Dia da Expiação. Este, por sua vez, é um dia de perdão que serve como preparação espiritual para a festa seguinte, a Festa dos Tabernáculos. O Yom Kippur é descrito no livro de Levítico:

"Mas aos dez dias desse sétimo mês será o dia da expiação; tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas; e oferecereis oferta queimada ao Senhor. E naquele mesmo dia nenhum trabalho fareis, porque é o dia da expiação, para fazer expiação por vós perante o Senhor vosso Deus...Sábado de descanso vos será; então afligireis as vossas almas", Lv 23:27-28, 32a

Note a ênfase em "afligir a alma". Alguns judeus hoje vão além do mandamento de afligir a alma e afligem o próprio corpo com açoites. Mas, tipicamente o costume é se abster de comer e beber, bem como de relações sexuais e outros prazeres. Era somente neste dia do ano que o sumo sacerdote podia entrar no "Santo dos Santos", a parte mais interna do Tabernáculo, onde ficava a arca da aliança, representando a presença de Deus no meio do povo. Lá, ele deveria oferecer o sangue por expiação de seus pecados e do povo para fazer reconciliação com Deus por mais um ano. O ritual completo da festa é descrito em Levítico 16:1-34. Veja que para os judeus o termo "festa" não tem necessariamente o sentido de um tempo de alegria, como na nossa cultura. Neste caso, era um dia de angústia e sofrimento.

Jesus foi afligido para expiar nossos pecados, como escreveu o profeta Isaías, mais de 700 anos antes de Cristo:

"Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.", Is 53:4-5

"Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca...", Is 53:7a

"Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado.", Is 53:10

"...mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.", Is 53:12b

Numa tentativa de negar a clara conexão desta profecia com Jesus, os rabinos dizem que os textos acima referem-se à nação de Israel, e não ao Messias. No entanto, em nenhum lugar diz-se que Israel sofreu para expiar os nossos pecados. Uma nação com pecados não pode expiar pecados de outros. Isto simplismente não funciona.

Yom Kippur possui um sentido profético ligado à expiação dos pecados de Israel quando eles reconhecerem o sacrifício do Messias. O Messias permanecerá no céu até Israel se converter, como diz o "Leão de Judá" no livro de Oséias:

"Irei e voltarei ao meu lugar, até que se reconheçam culpados e busquem a minha face; estando eles angustiados, de madrugada me buscarão.", Os 5:15

Aqueles que estão mais acostumados ao estudo das profecias, sabem que isto ocorrerá ao final da chamada "Grande Tribulação", um período de sete anos de aflição que culmina com a batalha do vale do Armagedom, ou Megido. Esta batalha termina com a volta do Messias para estabelecer Seu Reino na Terra. O profeta Zacarias descreve estes eventos assim (mais de 500 anos antes de Cristo):

"E acontecerá naquele dia, que procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém; Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito. Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém, como o pranto de Hadade-Rimom no vale de Megido.", Zc 12:9-11

Jesus também falou da aflição de Israel naqueles dias:

"E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.", Mt 24:29-30

O ajuntamento final dos judeus em sua terra (Festa das Trombetas) e a sua aflição e arrependimento ao final da Grande Tribulação (Dia da Expiação) levará à conversão e purificação da nação de Israel. A festa do Yom Kippur é concluída com um longo toque da trombeta shofar. A seguir, vem o próximo grande evento na história da humanidade, a Festa dos Tabernáculos.


5 comentários:

  1. Erico

    Excelente artigo.
    Acrescento ao artigo o texto de Eclesiastes 7:2-4.
    A volta do Senhor se aproxima, estah as portas. Maranata, Vem Senhor Jesus!

    Um abracao

    Nilson

    Melhor é ir à casa onde há luto do que ir a casa onde há banquete; porque naquela se vê o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração.
    Melhor é a mágoa do que o riso, porque a tristeza do rosto torna melhor o coração.
    O coração dos sábios está na casa do luto, mas o coração dos tolos na casa da alegria.
    Eclesiastes 7:2-4

    ResponderExcluir
  2. Também nessa linha tinha o falecido Leonard Ravenhill, um dos referenciais do Paul Washer:

    http://www.youtube.com/watch?v=Uv59vWZfJB0&feature=g-vrec&context=G2c12b08RVAAAAAAAAAw

    ResponderExcluir
  3. A paz a todos! Atualmente existem três linhas de Judeus, são eles o Ortodoxos, os Messiânicos e os Judeus da Unidade. Neste artigo descrito neste blog está generalizado tudo e fazendo uma tremenda confusão. Eu sou um Judeu e falo pelo que sei, vou lhe dizer algo que irá choca-lo. O nome do Mashiach não é Jesus e sim Yeshua. Jesus é tradução de Yeshua, nome próprio não se pode traduzir pois o nome carrega a personalidade da pessoa, quem ela é. No caso de Yeshua nem se discute isso pois é o maior nome que existe nos céus. O nome Jesus possui relação com o testemunho e vida de Yeshua e é por isso que há curas e libertações através deste nome, por causa dos fragmentos do nome de Yeshua no nome de Jesus, mas isso está sendo tirado nestes dias. Note que "Jesus" é o mesmo nome que a igreja católica utiliza e é o nome que faz milagres lá também, como pode? Sabendo disso, chamar Yeshua de Jesus é nega-lo. Jesus veio fundar uma nova igreja, abolir as leis etc... Yeshua veio para ser uma porta de salvação, para extender a GRAÇA que era exclusiva dos Judeus, para os gentios, Yeshua veio para escrever a torá no coração do homem, como está escrito que a letra mata mas o espírito vivifica. A festa de Yom Kippur antes de Yeshua era para expiação de pecados através de sacrificios de animais, hoje é atraves do sangue de Yeshua. Não que precisamos esperar Yom Kippur para pedir-mos perdão, como antigamente tambem não precisava, você poderia expiar os pecados sempre que havia necessidade, o que mudou é que o sacrificio foi feito uma vez para todas e para todos e eternamente através do sangue de Yeshua, dispensando o uso de animais, mas a festa existe, e é uma data estipulada pelo Eterno com propositos tão profundos que não posso me atrever a escrever aqui, mas te adianto que nesta festa muitos nomes são apagados do Livro da Vida do Cordeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar Deus não é retardado para escrever o nome de uma pessoa e depois apagá-lo do livro da vida, seria não ser de modo algum Onisciente, conhecedor do futuro e ativo no presente conhecendo tudo e a todos.
      o que é ser Onisciente? É ter o poder de predestinar, sem erro e sem arrependimento, os seus escolhidos:
      Romanos 8:29

      Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.
      O programa da salvação é infinitamente superior ao programa AUTOCAD, que um software onde o arquiteto define sem erros o projeto de uma casa a ser construída. Agora acham que Jesus mentiu ao dizer que:
      João 17:12

      Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse.
      E as escritura fala que os escolhidos, cujos nomes estão no livro da vida do cordeiro, que foi morto desde a fundação do mundo, nenhum deles se perdeu, mas acham que Deus tem duvidas sobre quem vai ser salvo e quem não vai, como se a salvação fosse um lance de sorte à escolha do homem, e não do Senhor; se fosse assim, todos seriam salvos, pois o mesmo Senhor disse que não todos poderão acertar a porta que é Ele mesmo que a busquem incansavelmente, nem todos que dizem Senhor, Senhor entrarão no Reino dos Céu mesmo que se confessem crentes mas não sendo dos escolhidos estão já, desde que nasceram, fora no Livro da Vida. Complicô aí? Então estude mais !

      Excluir
  4. Caro anônimo,

    Creio que ficou claro pelo texto que eu me referia aos judeus ortodoxos, pois os Messiânicos creem em Yeshua. Só você ficou confuso quanto a isso. E não há nada chocante pra mim em dizer que o nome do Messias é Yeshua, todos sabem disso. Só que alguns têm medo de usar a tradução grega do nome (Jesus) e outros não. Ninguém precisa fazer um curso de línguas para ser aceito por Deus, basta crer em Seu Filho. E quanto ao Yom Kippur, eu não disse que era só nessa data que se fazia expiação, isso era feito individualmente durante o ano todo. Mas nesse dia, o sumo sacerdote fazia expiação pelos pecados da nação. Segundo a tradição judaica extra Bíblica, nesse dia os judeus buscam expiação para que seus nomes sejam garantidos no Livro da Vida por mais um ano. Isso não é novidade pra mim, só que também não tem respaldo Bíblico.

    ResponderExcluir